Nova droga promete revolucionar tratamento da Doença de Alzheimer

por 1 637 visualizações

Solanezumab é o novo fármaco que bloqueia a perda de memória em pacientes no estágio médio da doença, tornado-a no primeiro medicamento que reduz de forma efetiva o ritmo dos danos no cérebro.

Dados da empresa farmacêutica Ely Lilly sugerem que o medicamento, chamado de solanezumab, pode cortar em cerca de um terço a taxa do avanço da demência.

A descoberta foi anunciada esta quarta-feira em Washington durante a AAIC, a conferência anual da Associação Internacional de Alzheimer. «Seria prematuro dizer que tivemos um avanço decisivo, mas há muitas coisas em andamento que são bastante promissoras», acrescentou Ferris, que está envolvido com os testes há mais de 40 anos.

Atualmente, não há como deter a progressão do Mal de Alzheimer e consequentemente de evitar a morte de neurónios. Mas, o solanezumab poderá, segundo os cientistas, manter estas células vivas.

Os medicamentos disponíveis podem aliviar temporariamente os sintomas da doença ao ajudar no funcionamento das células do cérebro que estão morrendo.

Este novo medicamento ataca as proteínas deformadas, chamadas beta-amilóides, que se acumulam no cérebro devido ao Alzheimer.

«Esta é a primeira demonstração de uma droga que verdadeiramente altera a evolução da doença, muda o seu curso de uma forma irrevogável», disse Eric Karran, diretor de investigação na Alzheimer’s Research UK, em declarações ao The Guardian.

Ler artigo original no The Guardian