Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise.Saiba mais | Compreendi
 
 
 
 
Links Patrocinados
> > Tenho um funcionário resmungão

Tenho um funcionário resmungão

Data: 29/10/2016 Autor: Portal Código Postal

Um funcionário que reclama de tudo e de todos pode ser muito prejudicial para o seu negócio. Veja como lidar com esta situação antes que seja tarde demais.


Tenho um funcionário resmungão

O perfil é conhecido: uma pessoa não para de criticar a empresa onde trabalha, os colegas de trabalho e a chefia, os clientes, o local de trabalho, o trajeto até ao local de trabalho. Encontra mil motivos para não fazer o seu trabalho e influencia negativamente todos ao seu redor criando um péssimo ambiente para o trabalho. É o famoso resmungão.

Já deve ter encontrado alguém assim na sua vida profissional. Porém, pior do que ter um resmungão como colega de trabalho é ter um funcionário resmungão.

Uma pessoa com esse perfil pode atrapalhar, e muito, o andamento de uma empresa, especialmente se estamos a falar de um pequeno negócio, em que todos se conhecem e dependem do trabalho uns dos outros.

Mas não se desespere. Se teve o azar de contratar um resmungão para a sua empresa, existem diversas formas de lidar com a situação – as saídas vão da autoanálise do próprio empreendedor à demissão do funcionário problemático.

1 – Avalie se o problema não é você

Quando o assunto é um funcionário problema, a solução mais ouvida é «livre-se dele». Porém, o consultor César Souza, da Escola do Empreendedor, explica que essa não deve ser a primeira saída.

«O mais comum é dizer demite!. Como se o problema fosse só o empregado. Mas eu indico fazer uma reflexão para ver se aquela pessoa não está trazendo uma queixa fundamentada», afirma.

Segundo o especialista, é possível que a reclamação aponte para comportamentos pouco saudáveis do próprio empreendedor, e que podem inclusive atrapalhar o negócio. «Ele pode ser um chefe muito centralizador, ou até injusto, do tipo carrasco que nunca dá aumento de salário», exemplifica.

Uma autoanálise sincera pode revelar que o problema não está no funcionário e sim no comportamento do empreendedor. Quem sabe aquela pessoa não está lhe avisando que há algo errado no seu modo de gerir a equipe?

2 – Reveja seu processo de seleção

Se a sua empresa tem um funcionário que só reclama, alguém o selecionou para estar ali. Sendo assim, ao se deparar com um problema na equipe, é importante que o empreendedor se questione se está dando a devida atenção ao seu processo de recrutamento.

«É muito comum o empreendedor não investir nesse momento da seleção. Ás vezes ele terceiriza esse trabalho ou, quando realiza internamente, faz isso sem o devido cuidado», afirma Souza.

Uma seleção mal feita gera dores de cabeça no futuro, já que pode ser necessário demitir a pessoa mal selecionada, gerando prejuízo e desgaste. «As pessoas não investem tempo na porta de entrada e isso depois se reflete em problemas», avisa o consultor.

3 – Tenha uma conversa clara

Se você já avaliou seu próprio comportamento e também fez uma análise de como seu processo de seleção pode melhorar, é hora de focar no comportamento do tal funcionário resmungão.

Após observar atentamente como ele se comporta, chame-o para uma conversa franca, aconselha Alexandre Rangel, da consultoria Alliance Coaching.

O especialista conta que recentemente prestou consultoria a um gestor com esse problema. «Ele tinha uma funcionária que só resmungava e estava inclusive minando o comportamento dos demais colegas. Depois de um tempo de observação, ele a chamou para uma conversa».

Segundo o consultor, é importante começar essa conversa levantando pontos positivos daquele funcionário, para só então falar do que precisa ser mudado. Já na hora de falar dos problemas, seja claro.

«É necessário ser objetivo. No caso desse gestor, ele levou três exemplos de momentos em que o comportamento da funcionária prejudicou o trabalho, quando na realidade o alvo da reclamação era algo pequeno», continua Rangel.

Por fim, é interessante mostrar para esse funcionário o que ele pode ganhar se mudar de atitude.

4 – Nunca se altere

Rangel explica que é fundamental que o empreendedor não se exalte quando estiver frente a um problema como esse.

«Esse gestor que me procurou contou que, como a situação estava difícil, ele estava começando a alterar a voz, a agir com agressividade. Isso nunca é positivo», afirma. Segundo o especialista, o ideal não é medir forças com o funcionário resmungão, mas sim conversar de forma objetiva.

«Num ambiente de trabalho, a bronca não leva a nada. Ao contrario, só gera o afastamento do funcionário e até mesmo o sentimento de vingança. O ideal é a conversa num tom brando e firme, com ações efetivas», aconselha.

5 – Se nada der certo, demita

Caso a estratégia da conversa não dê resultado após algumas tentativas, a saída é a demissão.

«Se a situação persistir, a demissão pode ser a saída. É a maçã podre. A pessoa resmungona vai atraindo outros insatisfeitos, e isso deteriora a liderança da chefia. Quando vê, ele já perdeu o pulso», explica Rangel.

César Souza, da Escola do Empreendedor, ressalta ainda que aquela empresa pode não ser o melhor para aquele funcionário.

«Trabalhei com uma pessoa assim uma vez. Chamei para uma conversa e perguntei: ‘qual o seu sonho?’. Ele me respondeu que queria montar um bar», lembra. «Resolvi então ajudá-lo a montar um plano de negócio e deu certo. Cinco anos depois ele já tinha três bares. Ele tinha se encontrado na vida. Tenho certeza de que no bar ele não reclamava.»

6 – Não se confunda

Atenção! Antes de mandar seu funcionário embora, certifique-se de que se trata de fato de um resmungão.

Ás vezes, esse funcionário é apenas uma pessoa questionadora, que vê processos errados no negócio e faz questão de apontá-los de maneira firme. Neste caso, agradeça por ter alguém assim na equipe.

«A pessoa que enxerga uma falha e contesta o chefe, argumentando para convencê-lo, ela deve ser valorizada. Quem tem um funcionário assim é privilegiado. É uma maravilha porque todo mundo cresce», afirma Rangel.


 



Este artigo foi visto 1324 vezes.

Dossiers

Quer começar a vender a sério?
As vinte e cinco propostas mais úteis que já ouviu na sua vida.

Artigos publicados em 2016

Arquivo

» 2015
Artigos publicados durante o ano de 2015.

» 2014
Artigos publicados durante o ano de 2014.

» 2013
Artigos publicados durante o ano de 2013.

» 2012
Artigos publicados durante o ano de 2012.

» Editoriais Ciberforma
Antigos Editoriais do site Ciberforma Online

Artigos publicados:


Melhores prática na gestão de stocks
por Portal Código Postal
em 21/09/2017

Na grande distribuição e no setor industrial gerir o inventário de forma eficiente é um dos maiores desafios que podemos enfrentar. Apontámos aqui as quatro melhores práticas seguidas pelos gestores com a responsabilidade de assegurar que os materiais estão sempre disponíveis ao mais baixo custo.
Visualizações: 252


A chave para a felicidade no trabalho segundo Paolo Gallo
por Portal Código Postal
em 20/09/2017

Autor de «A Bússola do Sucesso», responsável pelos Recursos Humanos do Fórum Económico Mundial e professor na Universidade de Bocconi, Itália, Paolo Gallo tem uma ideia clara sobre o caminho para atingir a felicidade no trabalho.
Visualizações: 273


Trabalhadores independentes poderão ficar isentos de IRS em 2018
por Portal Código Postal
em 18/09/2017

O Orçamento de Estado para 2018 poderá introduzir a isenção de IRS para os trabalhadores independentes cujo rendimento mensal não ultrapasse os 632 euros.
Visualizações: 1 338


O Currículo perfeito, segundo o CEO da LinkedIn
por Portal Código Postal
em 15/09/2017

Jeff Weiner, líder da LinkedIn, afirma que a forma clássica de elaborar e avaliar currículos tem os dias contados.
Visualizações: 353


A geração millennial confia mais em aconselhamento digital do que humano
por Portal Código Postal
em 13/09/2017

Um relatório da Consultora Forrester indica que a geração millennial, com idades compreendidas entre os 18 e os 37 anos, prefere recorrer a dispositivos móveis e a ferramentas digitais para obter aconselhamento financeiro, procurando-o mais do que os seus pais o qualquer outro humano.
Visualizações: 264


Links Patrocinados
 
Ajuda para o Site | Apartados | Novidades | Fazer Publicidade Aqui
© 2007 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Links institucionais: Termos de Utilização | Privacidade | Sobre Nós | Contacto