Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise.Saiba mais | Compreendi
 
 
 
 
Links Patrocinados
> > Tem um bom ou um mau chefe

Tem um bom ou um mau chefe

Data: 23/07/2014 Autor: Portal Código Postal

Alguns indícios que lhe permitem aferir se o seu superior hierárquico é um bom ou um mau chefe.


Tem um bom ou um mau chefe

O seu chefe é um bom chefe? Ou é alguém que vai tornar a sua vida miserável para sempre? Cerca de 75% dos funcionários pensam que o seu chefe é o pior de todos e que o trabalho até poderia ser interessante sem a parte do «chefe». Infelizmente, há todo um conjunto de atitudes deploráveis comuns aos maus chefes, sendo relativamente fácil perceber se estamos na presença de um desses exemplares demasiado comuns.

O seu chefe prejudica a sua autoestima

Frases similares a «Tinha de ser você!», «É melhor chamarmos outra pessoa pois você não é capaz.». O seu chefe rebaixa-o? Diz-lhe que você não consegue? Infelizmente, não está sozinho. Cerca de 60% dos empregados afirmam que, em alguma altura, o seu responsável hierárquico feriu a sua autoestima.

O seu chefe não é bom naquilo que faz

Um estudo indica que 34% dos empregados afirmam que o seu chefe não é eficiente na sua própria função. Desses, cerca de metade afirma mesmo que desempenharia as funções do chefe muito melhor do que este.

O seu chefe não o motiva

A principal função de um chefe deveria ser defender e motivar a sua equipa. No entanto, 39% indica que nunca ou raramente se sentiram motivados pelo seu superior.

O seu chefe não sabe ouvir

Comunicação fluída e bidirecional deveria ser natural no seu local de trabalho, mas um terço dos inquiridos relata que nunca são ouvidos sobre assuntos de trabalho.

O seu chefe ignora-o

De acordo com o mesmo estudo, 57% dos funcionários que são ignorados pelos respetivos chefes nunca se comprometem devidamente com o trabalho.

O seu chefe elegeu alguns favoritos

Sente que o seu chefe proporciona mais oportunidades a outros colegas, mesmo quando você seria mais capaz de realizar essas tarefas? O estudo indica que isso acontece em 34% dos casos.

O seu chefe faz com que tenha medo de ir trabalhar

A mesma pesquisa mostra que os funcionários temem conversas difíceis com o seu chefe (20,4 por cento) e retornar ao trabalho depois das férias (16,6 por cento).

O seu chefe não o inspira

Uma das cinco principais características de um mau chefe é a incapacidade de inspirar os seus subordinados.

O seu chefe não tem uma visão clara do caminho a seguir

Se quem supostamente deverá guiar os outros não tiver uma noção clara do objetivo a alcançar e do rumo a seguir será difícil manter os subordinados a remar com toda a convicção.

O seu chefe faz com que se queira esconder

Costuma evitar cruzar-se com o chefe? Tenta-se esconder quando ele aparece no horizonte? No estudo, existem 27% dos inquiridos que afirmam claramente que evitam a todo o custo interagirem com o seu superior hierárquico.

O seu chefe é preguiçoso

Mas porque é que se vai esforçar por cumprir o seu trabalho quando o seu chefe não cumpre o dele. Uns avassaladores 42% dos subordinados afirmam que o seu chefe não trabalha o suficiente.

O seu chefe não consegue manter a calma

Quando as situações se tornam stressantes, 47% dos chefes não conseguem manter a calma durante o episódio. Não é suposto ser o chefe a pessoa a quem recorrer quando nos sentimos ultrapassados pela situação?

Nenhum chefe é perfeito

Não espere alguma vez encontrar um chefe que não se inclua em nenhuma das situações descritas anteriormente. Provavelmente, nem os grandes líderes que inspiraram toda a humanidade, como Nelson Mandela, ou Gandhi, receberiam a pontuação máxima dos seus eventuais subordinados. Mas, se visualizou o rosto do seu chefe em praticamente todos os itens descritos, comece a procurar outro emprego pois a situação não vai melhorar.

É no local de trabalho que passamos a maior parte do nosso tempo e, se não nos sentirmos bem aí, temos a nossa felicidade irremediavelmente comprometida.


 



Este artigo foi visto 1978 vezes.

Dossiers

Quer começar a vender a sério?
As vinte e cinco propostas mais úteis que já ouviu na sua vida.

Artigos publicados em 2016

Arquivo

» 2015
Artigos publicados durante o ano de 2015.

» 2014
Artigos publicados durante o ano de 2014.

» 2013
Artigos publicados durante o ano de 2013.

» 2012
Artigos publicados durante o ano de 2012.

» Editoriais Ciberforma
Antigos Editoriais do site Ciberforma Online

Artigos publicados:


Melhores prática na gestão de stocks
por Portal Código Postal
em 21/09/2017

Na grande distribuição e no setor industrial gerir o inventário de forma eficiente é um dos maiores desafios que podemos enfrentar. Apontámos aqui as quatro melhores práticas seguidas pelos gestores com a responsabilidade de assegurar que os materiais estão sempre disponíveis ao mais baixo custo.
Visualizações: 253


A chave para a felicidade no trabalho segundo Paolo Gallo
por Portal Código Postal
em 20/09/2017

Autor de «A Bússola do Sucesso», responsável pelos Recursos Humanos do Fórum Económico Mundial e professor na Universidade de Bocconi, Itália, Paolo Gallo tem uma ideia clara sobre o caminho para atingir a felicidade no trabalho.
Visualizações: 273


Trabalhadores independentes poderão ficar isentos de IRS em 2018
por Portal Código Postal
em 18/09/2017

O Orçamento de Estado para 2018 poderá introduzir a isenção de IRS para os trabalhadores independentes cujo rendimento mensal não ultrapasse os 632 euros.
Visualizações: 1 339


O Currículo perfeito, segundo o CEO da LinkedIn
por Portal Código Postal
em 15/09/2017

Jeff Weiner, líder da LinkedIn, afirma que a forma clássica de elaborar e avaliar currículos tem os dias contados.
Visualizações: 354


A geração millennial confia mais em aconselhamento digital do que humano
por Portal Código Postal
em 13/09/2017

Um relatório da Consultora Forrester indica que a geração millennial, com idades compreendidas entre os 18 e os 37 anos, prefere recorrer a dispositivos móveis e a ferramentas digitais para obter aconselhamento financeiro, procurando-o mais do que os seus pais o qualquer outro humano.
Visualizações: 264


Links Patrocinados
 
Ajuda para o Site | Apartados | Novidades | Fazer Publicidade Aqui
© 2007 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Links institucionais: Termos de Utilização | Privacidade | Sobre Nós | Contacto