Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise.Saiba mais | Compreendi
 
 
 
 
Links Patrocinados
> > Economia Portuguesa cresceu 2,2% no 1º trimestre de 2014

Economia Portuguesa cresceu 2,2% no 1º trimestre de 2014

Data: 16/04/2014 Autor: Portal Código Postal

O relatório de conjuntura elaborado pelo NECEP (Núcleo de Estudos de Conjuntura sobre a Economia Portuguesa) da Universidade Católica sobre o primeiro trimestre de 2014 indicia um crescimento melhor que o previsto.


Economia Portuguesa cresceu 2,2% no 1º trimestre de 2014

No 1.º trimestre de 2014, a economia portuguesa terá crescido 0.2% em cadeia e 2.2% em termos homólogos, registando o quarto trimestre consecutivo de crescimento e mantendo o quadro de recuperação do último trimestre de 2013 (0.6% e 1.7% respetivamente). A generalidade dos indicadores abandonaram os mínimos históricos e alguns regressaram aos seus valores médios (como no caso do Indicador de Sentimento Económico da Comissão Europeia), se bem que permaneça alguma incerteza em torno do significado substantivo dessa evolução em termos de magnitude do crescimento. De facto, a economia portuguesa ainda não regressou à normalidade, tendo recuperado apenas cerca de 2% dos 7% que contraiu face a meados de 2010. O NECEP estima, ainda, que a taxa de desemprego terá tido uma ligeira descida para 15.1% nos primeiros três meses do ano.

O desempenho da economia nacional em 2014 dependerá da intensidade da recuperação do investimento e da manutenção de níveis robustos de crescimento das exportações. Neste sentido, os dados mais recentes de continuada descida das taxas de juro, de ligeiros crescimentos no investimento, em particular na componente de máquinas e equipamentos, e da manutenção de um saudável crescimento das exportações suportam um quadro económico crescentemente favorável. Neste contexto, o NECEP aumentou, de forma significativa, a sua previsão do crescimento do PIB em 2014 para 1.4% (0.8% em janeiro). As restrições e incertezas de caráter orçamental são o maior risco desta previsão. Esta melhoria nas previsões tem em conta a persistência de sinais favoráveis transversais aos vários agregados, a melhoria significativa, e inesperada, das taxas de juro implícitas da dívida pública portuguesa, a continuada recuperação económica na zona euro, os sinais robustos oriundos da economia norte-americana e, finalmente, a resiliência das economias periféricas do euro à estratégia de tapering monetário por parte da Reserva Federal (FED).

A melhoria da conjuntura suporta a revisão em alta do ponto central da previsão do NECEP do crescimento do PIB em 2015 para 2.0% (1.4% em janeiro). No entanto, há fatores de incerteza que dificultam este exercício de previsão, incluindo a dificuldade em estimar a dimensão do output gap (que suporta cenários de recuperação cíclica de intensidade muito variada) e o elevado nível de endividamento da economia portuguesa que pode limitar a recuperação rápida do investimento observada em ciclos recessivos anteriores. A perspetiva do NECEP é que a recuperação até aos patamares de 2010 poderá ser relativamente rápida mas, a partir desse nível, as restrições e custos de financiamento podem pesar negativamente no crescimento do investimento e, por conseguinte, na evolução do PIB a médio prazo.

Em suma, o NECEP estima que a trajetória tendencial da economia portuguesa seja já positiva, se bem que baixa em termos históricos e de magnitude incerta. De facto, os sinais positivos de recuperação (nomeadamente, de natureza qualitativa) podem estar demasiado influenciados por uma mudança rápida e favorável das perspetivas da generalidade dos agentes económicos, não podendo ser excluída a hipótese de uma sobre-reação no curto prazo. Os desafios de caráter orçamental não foram ainda ultrapassados, e há já um grande desgaste das autoridades que poderão abrandar esse esforço na primeira oportunidade.


 



Este artigo foi visto 1780 vezes.

Dossiers

Quer começar a vender a sério?
As vinte e cinco propostas mais úteis que já ouviu na sua vida.

Artigos publicados em 2016

Arquivo

» 2015
Artigos publicados durante o ano de 2015.

» 2014
Artigos publicados durante o ano de 2014.

» 2013
Artigos publicados durante o ano de 2013.

» 2012
Artigos publicados durante o ano de 2012.

» Editoriais Ciberforma
Antigos Editoriais do site Ciberforma Online

Artigos publicados:


Melhores prática na gestão de stocks
por Portal Código Postal
em 21/09/2017

Na grande distribuição e no setor industrial gerir o inventário de forma eficiente é um dos maiores desafios que podemos enfrentar. Apontámos aqui as quatro melhores práticas seguidas pelos gestores com a responsabilidade de assegurar que os materiais estão sempre disponíveis ao mais baixo custo.
Visualizações: 253


A chave para a felicidade no trabalho segundo Paolo Gallo
por Portal Código Postal
em 20/09/2017

Autor de «A Bússola do Sucesso», responsável pelos Recursos Humanos do Fórum Económico Mundial e professor na Universidade de Bocconi, Itália, Paolo Gallo tem uma ideia clara sobre o caminho para atingir a felicidade no trabalho.
Visualizações: 273


Trabalhadores independentes poderão ficar isentos de IRS em 2018
por Portal Código Postal
em 18/09/2017

O Orçamento de Estado para 2018 poderá introduzir a isenção de IRS para os trabalhadores independentes cujo rendimento mensal não ultrapasse os 632 euros.
Visualizações: 1 338


O Currículo perfeito, segundo o CEO da LinkedIn
por Portal Código Postal
em 15/09/2017

Jeff Weiner, líder da LinkedIn, afirma que a forma clássica de elaborar e avaliar currículos tem os dias contados.
Visualizações: 354


A geração millennial confia mais em aconselhamento digital do que humano
por Portal Código Postal
em 13/09/2017

Um relatório da Consultora Forrester indica que a geração millennial, com idades compreendidas entre os 18 e os 37 anos, prefere recorrer a dispositivos móveis e a ferramentas digitais para obter aconselhamento financeiro, procurando-o mais do que os seus pais o qualquer outro humano.
Visualizações: 264


Links Patrocinados
 
Ajuda para o Site | Apartados | Novidades | Fazer Publicidade Aqui
© 2007 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Links institucionais: Termos de Utilização | Privacidade | Sobre Nós | Contacto